Rui Costa: a "solução" de Moema para manter Lauro de Freitas com o PT

A prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), iniciou uma ofensiva fortíssima no partido para tentar convencer o deputado federal Rui Costa a disputar sua sucessão no município. Embora na base de Moema pululem nomes, nenhum deles ganhou até agora a confiança estreita da prefeita em termos de viabilidade eleitoral em Lauro de Freitas, o que é estratégico para seus planos de fortalecer-se politicamente na região metropolitana e, principalmente, em seu partido.


Por este motivo, Moema estaria convencida de que a “opção Rui Costa” seria a melhor para ela, que, com a iniciativa, além de resolver o problema da própria sucessão na cidade, seria naturalmente guindada à disputada lista dos candidatos a suceder o governador Jaques Wagner (PT) na base do governo. A auxiliares, Moema tem dito que passou o ano de 2010 aberta a que surgissem nomes em sua base.


Apesar da “abertura” dada pela prefeita, os que emergiram, esperados, não a encantaram. Daí a escolha por Rui Costa que, aceitando o ingresso na disputa, repetiria movimento já executado por ela, quando, como deputada estadual, resolveu fincar base no município, e o próprio Jaques Wagner, que, antes de eleger-se governador, lançou-se na disputa pela Prefeitura de Camaçari num movimento que muitos acreditam que teria sido muito importante para o PT e sua eleição, em 2006.


Moema já teria a chapa para 2012 pronta na cabeça: Rui disputaria a Prefeitura e Chico Franco, um dos seus principais secretários municipais, a vice. Mas trabalharia também com a idéia de remover o auxiliar para fazer uma composição com o PP de João Leão. Hoje, chefe da Casa Civil do prefeito João Henrique (PP), Leão é inimigo histórico da prefeita no município, mas – o que contrariou muito Moema na época - se integrou à base do governador desde a sucessão municipal passada.


“A idéia da candidatura de Rui Costa em Lauro de Freitas é genial e revela todo o crescimento e habilidade políticos de Moema”, diz uma fonte do PT ao Política Livre. Segundo o mesmo quadro, como Rui é ligadíssimo a Wagner, a prefeita tende, naturalmente, a ganhar um importante aliado junto ao governador para os seus planos de disputar a sucessão estadual de 2014.


“Mesmo que não tope disputar a Prefeitura, o que seria uma burrice, Rui Costa será eternamente grato a Moema”, acrescenta, argumentando que, fazendo o sucessor, Moema vai chegar fortíssima no PT para a briga pela candidatura na legenda que disputará a sucessão do governador. O petista lembra que este é o mesmo objetivo do prefeito de Camaçari, Luis Caetano, que já escolheu um secretário para a sucessão no município.


Caetano é considerado hoje o segundo nome no PT para disputar as eleições de 2014, quando acaba o segundo mandato de Wagner e o PT desejará manter o governo do Estado. O primeiro seria o do presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Atrás deles, viriam o do senador Walter Pinheiro e o da própria Moema, que, caso a operação Rui Costa dê certo, poderá ingressar na lista dos pré-candidatos petistas com mais força do que as cabeças coroadas da legenda na Bahia imaginam.

Comentários