Rui Costa: a "solução" de Moema para manter Lauro de Freitas com o PT

A prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), iniciou uma ofensiva fortíssima no partido para tentar convencer o deputado federal Rui Costa a disputar sua sucessão no município. Embora na base de Moema pululem nomes, nenhum deles ganhou até agora a confiança estreita da prefeita em termos de viabilidade eleitoral em Lauro de Freitas, o que é estratégico para seus planos de fortalecer-se politicamente na região metropolitana e, principalmente, em seu partido.


Por este motivo, Moema estaria convencida de que a “opção Rui Costa” seria a melhor para ela, que, com a iniciativa, além de resolver o problema da própria sucessão na cidade, seria naturalmente guindada à disputada lista dos candidatos a suceder o governador Jaques Wagner (PT) na base do governo. A auxiliares, Moema tem dito que passou o ano de 2010 aberta a que surgissem nomes em sua base.


Apesar da “abertura” dada pela prefeita, os que emergiram, esperados, não a encantaram. Daí a escolha por Rui Costa que, aceitando o ingresso na disputa, repetiria movimento já executado por ela, quando, como deputada estadual, resolveu fincar base no município, e o próprio Jaques Wagner, que, antes de eleger-se governador, lançou-se na disputa pela Prefeitura de Camaçari num movimento que muitos acreditam que teria sido muito importante para o PT e sua eleição, em 2006.


Moema já teria a chapa para 2012 pronta na cabeça: Rui disputaria a Prefeitura e Chico Franco, um dos seus principais secretários municipais, a vice. Mas trabalharia também com a idéia de remover o auxiliar para fazer uma composição com o PP de João Leão. Hoje, chefe da Casa Civil do prefeito João Henrique (PP), Leão é inimigo histórico da prefeita no município, mas – o que contrariou muito Moema na época - se integrou à base do governador desde a sucessão municipal passada.


“A idéia da candidatura de Rui Costa em Lauro de Freitas é genial e revela todo o crescimento e habilidade políticos de Moema”, diz uma fonte do PT ao Política Livre. Segundo o mesmo quadro, como Rui é ligadíssimo a Wagner, a prefeita tende, naturalmente, a ganhar um importante aliado junto ao governador para os seus planos de disputar a sucessão estadual de 2014.


“Mesmo que não tope disputar a Prefeitura, o que seria uma burrice, Rui Costa será eternamente grato a Moema”, acrescenta, argumentando que, fazendo o sucessor, Moema vai chegar fortíssima no PT para a briga pela candidatura na legenda que disputará a sucessão do governador. O petista lembra que este é o mesmo objetivo do prefeito de Camaçari, Luis Caetano, que já escolheu um secretário para a sucessão no município.


Caetano é considerado hoje o segundo nome no PT para disputar as eleições de 2014, quando acaba o segundo mandato de Wagner e o PT desejará manter o governo do Estado. O primeiro seria o do presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Atrás deles, viriam o do senador Walter Pinheiro e o da própria Moema, que, caso a operação Rui Costa dê certo, poderá ingressar na lista dos pré-candidatos petistas com mais força do que as cabeças coroadas da legenda na Bahia imaginam.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ministério da Saúde propõe avanços na Política Nacional de Atenção Básica